Total de visualizações de página

Seguidores

CURTIR_FACEBOOK

Follow by Email

Pesquisar este blog

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

      

CONVERSANDO COM OS PAIS


Educar não é tarefa fácil,se tivesse uma receita seria melhor, como cada ser humano é único,  isso é impossível! Mas com um pouco de conhecimento e muito amor, 

                                                                    tudo é possível!

Quero começar meu bate-papo com vocês falando sobre "adolescentes ", por conviver atualmente, não só como mãe, mas também como educadora, com muito deles.Vou partilhar por alguns dias resumos de capítulos do livro "Adolescentes: Quem ama educa!" do Psicanalista e  Educador Içami Tiba. A leitura deste livro   me ajudou em muito a entendê-los melhor.
Atualizada e ampliada, a versão discute as dificuldades de educar filhos em uma sociedade que tenta aprender a lidar com a força das mídias sociais, com a falta de tempo e com as questões inerentes à adolescência. 

ADOLESCÊNCIA: SEGUNDO PARTO



PARTE 

Uma ordem do cérebro dá a largada. A partir dela, os testículos e os ovários iniciam a produção de hormônios que vão transformar os meninos e meninas em homens e mulheres.Pelo segundo parto, a criança se transforma em púbere e adolescente.

1. O PÚBERE ESTÁ PARA O BEBÊ..

A puberdade marca o fim da infância e o começo da adolescência, assim como o bebê , o fim da gestação e começa da infância.O púbere tem que aprender o que está acontecendo com o seu corpo.Essa percepção e esse entendimento de si mesmo, ele tem que fazer por si próprio.Os pais do bebê têm que fazer tudo por ele pelo amor dadivoso, até ele começar a fazer sozinho o que quer e/ou precisa. É muito importante que a criancinha comece a fazer as coisas conforme a sua capacidade.Quanto mais ela aprender, tanto mais sua auto-estima melhora e mais segura ela se torna. Mais tarde, mesmo tendo condições de comer sozinha, a criança pedirá a mãe que lhe sirva.Essa mãe poderá ser a serviçal do filho adolescente, pois está castrando a possibilidade de ele se arranjar sozinho. O púbere já não quer que seus pais interfiram nas suas descobertas sexuais. O que fazem de melhor é dar-lhe esse tempo e respeitar sua privacidade até que não se comprove que não merece. Caso os pais insistam querendo dar amor dadivoso e o amor que ensina para quem não está, naquele momento querendo recebê-los, estarão sendo inadequados. Correm os pais riscos de serem rechaçados pelo púbere.Esse rechaço funciona como uma espécie de fórceps às avessas para arrancar momentaneamente os pais de sua vida. ( Continua )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá Professoras(es) e pedagogas(os), esse Blog tem por finalidade trocarmos experiências sobre Educação. Sejam muito bem-vindos e seu comentário, dicas, opiniões, vivências em nossa área de atuação é muito importante para atualização do mesmo...obrigada, voltem sempre!